quarta-feira, 10 de março de 2010

Relações Públicas e Sociabilidade

Sociabilidade, socialidade, relações interpessoais, tribos culturais, são termos que usamos para explicar o que acontece entre as pessoas em todos os tipos de relacionamentos hoje dentro de uma sociedade. E quando queremos explicar esses ocorridos da sociedade nos damos com costumes e hábitos que mudam de acordo com regiões e países, e em sua maioria temos coisas em comum, como pobreza, capitalismo, guerras civis e guerrilhas urbanas.
Diante de fatos como esses pomos em prova todos os esforços que são feitos em relação a esses acontecidos pelo mundo. Lidamos com interesses e conformismos em todos os lugares, o que piora nossos julgamentos, e cria duvidas em relação a capacidade das pessoas questionarem a veracidade do sistema, da politica, dos costumes, e toda essa carga da midia de posturas sociais, fatos do bairro, cidade e país que amedrontam o povo, deixando-os apreensivos com o mundo, e fazendo o que acham que é certo, como um controle social, um terrorismo midiático.
Esse terror sustenta o sistema impedindo que mudanças para o desenvolvimento aconteçam, e dê com sucesso a continuidade de certos hábitos e costumes promovidos por uma midia ditatorial. Esse sistema preza por um padrão de vida que é determinado pelo mesmo, ditando regras e costumes em seu único beneficio. Padrões de sistemas de sucesso tambem usaram e usam as Relações Públicas, como no governo Vargas, Ditadura militar, na Primeira Grande Guerra a favor dos EUA, entre outros.
Com esses padrões de vida já alinhados aos interesses do sistema, são distorcidos os conceitos de qualidade de vida, prezando mais o capital do que o bem estar de viver com o necessário. E com esse dia a dia puramente capital, a massa fica mais vulnerável aos interesses desse terrorismo midiático. Mais vulnerável a massa, torna-se mais difícil de acreditar em mudanças para melhor, como movimentos sociais, políticos e ambientalistas, deixando as pessoas por preferir a tomada de desições mais uma vez para o sistema, não imaginando nem em como questionar suas atitudes. Então, podemos romper esse circulo sistemático sócio-capitalista que nos priva dos nossos interesses e sentimentos?
Seria possível essa Relações Públicas Causa melhorar isso? Sendo usada dessa vez a favor das pessoas? Poderia uma pessoa pegar uma carona com um desconhecido sem pensar que ele pode ser um suspeito terrível?

Um comentário:

flavinha disse...

e eu assino embaixo!!!
o foda é não poder responder tua pergunta final, jaz apenas a esperança.